Programa de Aceleração para Iniciativas Inovadoras em Saneamento Básico


Chegamos na etapa final do Programa de Aceleração para de iniciativas inovadoras no setor de saneamento no Brasil, uma iniciativa construída em parceria entre o Sense-Lab, a marca de papel higiênico e lenços umedecidos Neve®, da multinacional americana Kimberly-Clark e o Instituto Iguá. O programa teve como objetivo apoiar iniciativas existentes que atuam na melhoria da questão de esgotamento sanitário no Brasil, a fim de fortalecer tanto o impacto positivo quanto a sustentabilidade financeira de suas operações.

A origem do projeto se deve a uma triste realidade. Segundo dados do Instituto Trata Brasil, de 2018, cerca de 100 milhões de pessoas no Brasil não possuem coleta de esgoto, quase metade da população brasileira (47,64%). Dessas, 13 milhões são crianças e adolescentes, sendo que 3,1% delas não apresentam sequer um sanitário em casa.

Com base em dados do Instituto Trata Brasil, menos da metade (45,1%) do esgoto gerado no Brasil é tratado, sendo o restante é descartado irregularmente no meio ambiente, impactando negativamente a saúde e agravando quadros de doenças como diarreia, febre amarela, leptospirose, malária, esquistossomose e dengue, principalmente. No Brasil como um todo, apenas 2.126 municípios (38,2%) informaram ter Política Municipal de Saneamento Básico em 2017.

Compreendendo este cenário e com opiniões de especialistas no campo obtidas através de entrevistas realizadas pelo Sense-Lab, foram definidos os objetivos do programa, que nortearam a busca por iniciativas em todo o Brasil. Com muito sucesso, foram recebidas mais de 80 inscrições de iniciativas com foco no desenvolvimento de soluções na área de saneamento básico. Em uma pré-seleção, doze delas foram selecionadas para participarem de uma oficina presencial em São Paulo onde dez foram escolhidas para uma aceleração de cinco meses com mentores especializados e mais de 60 profissionais voluntários das mais diversas áreas de Kimberly-Clark.

Durante 5 meses as iniciativas puderam conhecer e aplicar o Modelo C, uma abordagem que alia reflexões sobre impacto e sustentabilidade, integrando ferramentas eficientes que têm sido utilizadas para modelar negócios com impacto: Business Model Canvas, que se concentra no desenho do negócio, e a Teoria de Mudança, que olha para a cadeia de resultados. Além trazer uma visibilidade sobre o modelo de atuação da iniciativa, também foi uma grande ferramenta de diagnóstico, utilizado para orientar os convites dos mentores especialistas, sendo no total 20 pessoas de diferentes organizações como: Trata Brasil, Iguá Saneamento, Instituto da Democracia e SustentabilidadeFundação Avina, Consórcio PCJ, Abraps, Mobiliza, Fundo Amazônia Sustentável, Sabesp, GIFE, Gabinete Marina Helou, World-Transforming Technolohies, Instituto Favela da Paz, Terra Nova, SuSaNa e Pinheiro Neto.

Foram diversos aprendizados durante todos estes meses de aceleração, com a percepção de termos pela frente um desafio complexo, com um ecossistema que necessita não somente de tecnologias inovadoras que atendam comunidades isoladas, e sim de toda uma articulação de pessoas e organizações dispostas a reinventar a maneira como estamos lidando com o problema de esgotamento sanitário.

Ao final desta 4 iniciativas foram contemplados com um capital-semente de R$ 50.000,00 cada e mais seis meses de mentoria adicional. As iniciativas destaque buscam se fortalecer e ampliar o impacto gerado, construindo parcerias e com muita resiliência. São elas: 10Envolver e Saneamento Básico Rural, Biosaneamento, Taboa Engenharia e BioMovement.

Com as demais iniciativas nós fechamos um ciclo, no desejo que novos se abram, para que as visões de impacto sejam alcançadas, que os nossos desafios diminuam nos próximos anos. Reconhecemos a importância das pessoas a frente dessas iniciativas, por questionarem e se dedicarem a buscar novas formas de levar soluções e tecnologias para comunidades isoladas.






105 visualizações0 comentário