Propósito e visão das organizações

16/05/2018

No final de Abril, o Sense-Lab foi convidado pela Mobiliza (consultoria com foco em estratégias de captação de recursos para organizações sociais) para conduzir o primeiro módulo do Programa de Formação em Sustentabilidade Financeira da Fundação Salvador Arena, com o objetivo de gerar reflexões sobre o propósito e visão das organizações participantes, e capacitá-las com ferramentas de inovação e gestão.

Ao todo serão 3 módulos diferentes, o segundo com foco em "um novo olhar para mobilização de recursos" e o último em "comunicação e engajamento da sociedade".

 

Durante 3 dias observamos junto com 13 OSCs (organizações da sociedade civil) o momento atual das organizações (diagnóstico), seu propósito, visão de futuro e os possíveis caminhos de inovação e gestão para potencializarem sua atuação. Foi uma grande oportunidade de aprendizado coletivo sobre a importância e dificuldades de uma atuação com propósito e impacto socioambiental, com um clara compreensão de que é um desafio complexo e urgente.

O primeiro módulo é composto por 3 dias de formação, durante o primeiro dia as organizações realizaram uma visita interior e analisaram o seu contexto atual, ao mesmo tempo em que conheciam e aprofundavam o conhecimento sobre a "Teoria de Mudança", uma metodologia que pode apoiar tanto no planejamento inicial, para compreender se de fato as intervenções propostas conseguem chegar no impacto de longo prazo, quanto momento presente para validar e encontrar consistências e inconsistências na atuação.

 

Construída a tese de mudança, as organizações focaram em seu "Modelo dos 3 Horizontes", que visa suportar a visualização da organização e os sistemas em que está inserida em 3 momentos: Horizonte 1 - Diagnóstico Presente, Horizonte 3 - Visão de Futuro e Horizonte 2 - campo de experimentação e inovação para alcançar a visão de futuro. 

A reflexão foi um ponto de partida para que fosse possível enxergar o que é preciso ser feito, para que o trabalho que realizam continue a ser cada vez mais relevantes para a sociedade. Com uma visão de possível futuro que pretendem alcançar, identificaram possíveis caminhos permeando uma grande pergunta sobre como colocar em prática a inovação para o futuro desejável.

 

Aprofundando no segundo horizonte, as organizações exercitaram o "Design Centrado no Ser Humano (Design Thinking)", uma metodologia que é baseada em 3 pilares, a colaboração, a empatia e a prototipagem. Seu fluxo é constituído em: Compreender a realidade que se quer influenciar através de visitas, imersões, entrevistas e outras ferramentas; Gerar ideias de solução, através de cocriação com um time multidisciplinar e diverso; Testar e iterar a solução criada para aprimorar o modelo.

 

Fechando o módulo e colhendo os aprendizados dos dois primeiros dias, conversamos bastante sobre o que é preciso para uma organização desenvolver sua capacidade de inovar continuamente. Tivemos uma conjunta percepção que são desafios complexos e urgentes, e para conseguir avançar com as visões de futuro é preciso antes, falar sobre as formas e modelos organizacionais, além da escassez da disponibilidade de recursos com qualidade para as organizações.

Como consequência, as organizações acabam gerando uma equipe muito dedicada na causa, com muito vontade de mudar a realidade em que estão inseridas, mas com pouco cuidado, baixa abertura das principais lideranças e falta de suporte para cuidar da equipe.

 

A sensação é que precisamos falar cada vez mais sobre a estrutura das organizações, diferença entre líder e liderança e principalmente a integralidade das pessoas em relação as organizações em alinhamento com o propósito.

 

A imagem abaixo mostra um pouco sobre a percepção do Sense-Lab com uma hipótese sobre a capacidade de uma organização inovar e se manter relevante para a sociedade e o planeta.

 

 

Lucas Harada

 

Um sonhador, acredita na construção do melhor mundo e vem transformando a vontade em ação. Formado em Publicidade, Propaganda e Marketing no Mackenzie, sendo apenas um detalhe na trajetória.
Iniciou a caminhada no terceiro setor como voluntário, por 2 anos, do TETO e do Movimento Oasis Sampa. Parte do Guerreiros Sem Armas no ano de 2014, curso internacional que reúne 60 jovens de diferentes países que buscam transformação e querem ser parte dela. Entrou no Jovens Talentos da Arymax em 2016, programa exclusivo de desenvolvimento para jovens que buscam uma carreira que una propósito de vida com impacto em larga escala. Em 2017 concluiu a Pós em Inovação Social pelo Instituto Amani, e também atuou como Gestor da ONG Juntos.com.vc, plataforma de crowdfunding focada exclusivamente em projetos sociais e ambientais
Com o olhar para o indivíduo, acreditando no potencial de cada um, se dedica hoje para diminuir a distância e desigualdade criada entre pessoas e organizações.

 

Compartilhar no Facebook
Compartilhar no Twitter
Please reload

Destaque

Reunião da rede Save Food para tratar do tema desperdício de alimentos

May 11, 2018

1/7
Please reload

Novidades recentes
Please reload

Notícias antigas