Áreas Prioritárias para Conservação e Restauração no Estado de Minas Gerais


O Sense-Lab recebeu mais um convite do WWF. Vamos falar sobre Áreas Prioritárias para Conservação e Restauração no Estado de Minas Gerais? Sim! Esse foi o chamado do WWF que, em parceria com o Instituto Nacional de Florestas, UFMG e a Fundação Biodiversitas, organizou uma oficina nos dias 12 e 13 de novembro, em Belo Horizonte, para discutir custos e oportunidades de conservação da biodiversidade e dos ecossistemas de Minas Gerais. O Sense-Lab entrou como moderador dessa conversa que reuniu cerca de 50 pessoas representantes de diversas organizações, institutos, empresas e governo, como IBAMA, Universidade Federal de Minas Gerais, Vale, Renova, Secretaria do Meio Ambiente de MG, Universidade Federal de Goiás entre vários outros atores ligados ao tema. O papel do Sense-Lab foi garantir o entendimento conjunto da metodologia utilizada pelo WWF e que as conversas certas acontecessem para que, ao final do encontro, o grupo – com a diversidade de conhecimento e ricas contribuições –, construísse coletivamente um mapa de priorização de áreas de conservação para o Estado mineiro. Para isso, durante a oficina os participantes avaliaram os temas escolhidos e suas bases de dados – infraestrutura (ex.: rodovias, hidrelétricas, linhas de transmissão), indústria e urbanização (ex.: mineração, manchas urbanas, distritos industriais) e agropecuária. Em paralelo, também definiram as oportunidades de conservação, estabeleceram níveis de intensidade para cada tema e classes de impacto. A ideia foi realizar uma ponderação entre as diferentes variáveis selecionadas para consolidá-las em uma única matriz de definição de pesos que represente o custo de conservação no Estado de Minas Gerais. Ao final da oficina, missão cumprida!


68 visualizações0 comentário